quarta-feira, abril 25, 2012

DORO NA CAIXA DO FECAMEPA – PRIMEIRO ROUND



DORO NA CAIXA DO FECAMEPA – Por causa duns biscates que o Doro – o cara que se diz candidato e futuro presidente do Brasil – ajuntou uma mixaria de nada e para recebê-la teria que abrir uma conta na Caixa Economica Federal. Exigência do contratante. E lá foi Doro. Lá para entrar teve que se desfazer do aparelho celular, do guarda chuva, do chaveiro, dum relógio de algibeira presente do seu bisavô, duma caneta niquelada, dos sapatos que possuíam fivela, do cinturão, do isqueiro de prata, da agulha de crochê, do extrator de grampos, da lupa de metal, da fita métrica metálica, do relógio Mido que usava só para se amostrar e nem funcionava, duma chave-de-fenda que carregava entre seus brebotes, resolvendo deixar logo a bolsa toda enganchada lá no depósito de pertences metálicos e na hora que foi passar na porta giratória peeeeemmmm! Tiveram que revistá-lo. Era que nas calças dele comprada quando fora em São Paulo tinham ums frisos metálicos, não antes haver lhe passado as mãos nas intimidades todas, possuídos e despossuídos, por fim, deixaram-no entrar com as calças seguradas. Pronto, respirou aliviado e foi reunir sua tranqueira toda na bolsa.
Dirigiu-se até a recepcionista que lhe dispensou uma senha: ECO36. O expediente mal começara e já estava naquilo? Pensou consigo mesmo. Nossa.
Quando se dirigiu para o local de atendimento não havia onde se arranchar de tão entupido de gente que estava. Aí, ficou por ali como galinha quando quer pôr.
Lá ia, lá vinha, ECO001. Eita, agora que foi o primeiro. Uma hora depois, ECO 006. Duas horas depois, ECO016. Tres horas depois, ECO030, mas a moça que atendia saiu para almoçar, só dali mais uma hora. E lá ficou coarando, descançando nos cambitos, ora se acocorando, ora se esticando, mas não dava para fazer muito movimento não senão esbarrava noutro.
Lá pelas três e pouca da tarde ali: ECO036. Ele animou-se e foi até a moça que estava com um decote maravilhoso para animar suas vistas. Ela bastante sorridente pediu-lhe os documentos exigidos: RG, CIC, comprovante de endereço e fotocópia de tudo isso. Fotocópia? Não se aperreou, como sempre estava cavando trampo, estava com tudo às mãos e repassou para a moça. Ai começou a conferência dos originais com as cópias levadas. E a moça só: - Hummmmm. CIC, beleza. Comprovante de endereço estava no nome do dono da casa, como ele morava de aluguel, ela pediu outro comprovante. Ele fez um ar de ironia e tascou da bolsa um comprovante de pagamento da loja no nome dele no endereço que ele havia indicado. Ela conferiu, olhou e pediu fotocópia. A-há! Ele, prontamente, entregou a referida cópia fotostática. Estava atualizada, sem problemas. Mas o RG estava com problema. Na fotocópia não dava para ler a data de emissão da mesma, o que a moça se levantou e tentou ela mesma tirar uma fotocópia na máquina da instituição. E voltou pra conferência. Realmente constatou a não visibilidade da data de emissão do RG na cópia retirada. Pediu-lhe, então, outro documento. Não tinha ali disponível. Disse ela: - Infelizmente com esse documento não haverá possibilidade de abrir nem uma poupança pro senhor. Precisa trazer outro documento.
O Doro ficou olhando pra moça que já passara para a senha ECO037 e de lá não se aboletou.
- Meu senhor, por gentileza, pode se levantar para eu atender ao outro cliente?
- Mas dona moça minina num tem um jeitinho de me atender não?
- Meu senhor, já lhe expliquei, traga a carteira de trabalho que abro sua conta, com a identificade que o senhor apresentou não dá.
- Mas dona moça minina....
- Infelizmente, meu senhor, não insista, o próximo!
- Mas...
O cara que estava esperando logo deu-lhe uns bregue com um puxavanque e disse:
- A moça já disse que traga outro documento que ela abre e saia que quero ser atendido, meu, tô aqui há mais de três horas e quero ser atendido, pode ser?
Doro murchou o rabinho entre as pernas e saiu caladinho bem de mansinho, mas completamente injuriado de mandar a Caixa pra casa de caixa pregos! E muito arretado disse ao passar a porta: - Anda vô sê prisidenti e consertu isso, vocêis vão ver!!!!




Veja mais sobre:
Sanha, a história da canção, Bronislaw Malinowski, Wolfgang Amadeus Mozart, Paul Gustave Doré, Sharon Bezaly, Anna Wakitsch, Lendas Africanas, Jaci Bezerra, Silvio Rabelo, Bertrand Bonello, Clara Choveaux, Ivoneide Lopes, Ju Mota & A história de dois moços e quatro moças aqui.

E mais:
Ginofagia da chegada dela pro amor aqui.
Gestão Tributária aqui.
Mandonismo da paixão aqui.
Atos ilícitos & excludentes de ilicitude aqui.
Ela, a incógnita do prazer aqui.
A fibra na dieta alimentar aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
 Art by Ísis Nefelibata.
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
 Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.



HERMILO, JESSIE BOUCHERETT, LUIZ BERTO, PINTANDO NA PRAÇA & SERRA DO QUATI – CAPOEIRAS

SERRA DO QUATI, CAPOEIRAS - Imagem: Serra do Quati/Capoeiras/Raimundo Lourenço. - Nasci na beira do Una, andejo do dia singrando na vida. ...