quinta-feira, março 07, 2013

DARCY RIBEIRO



DARCY RIBEIRO – O antropólogo, escritor e político mineiro Darcy Ribeiro (1922-1997), atuou na educação e atuou na área indígena. Foi eleito para Academia Brasileira de Letras em 8 de outubro de 1992, para a cadeira 11.  Foi ministro-chefe da Casa Civil do presidente João Goulart, vice-governador do Rio de Janeiro em 1983/87 e foi senador a partir de 1991.


AMERICA LATINA: A PATRIA GRANDE – Na obra America Latina: a pátria grande, Darcy Ribeiro aborda semelhanças e diferenças na America Latina, uniformidade sem unidade, antagonismo essencial, confuão e perplexidade na tipologia política, o cenário e os protagonistas, lideranças elitistas, elites autoritárias, as antielites, vanguardismo revolucionário, perspectivas futuras, a utopa da nação latinoamericana, as armas da conquista, indianidades, os neo-americanos, vicissitudes antiutópicas, perplexidas bolivianas, a façanha europeia, teorias do atraso e do progresso, consciência alienada, eurocentrismos, rebeliões étnicas,uniformidade e singularidade, civilização como avassalamento, configurações histórico-culturais, conflitos interétnicos, desempenhos civilizatórios, desafios cruciais, revoluções culturais e irracionalidade econômica.

FONTE:
RIBEIRO, Darcy. America Latina: a pátria grande. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.



A UNIVERSIDADE NECESSÁRIA – A obra Universidade necessária, Darcy Ribeiro trata da crise universitária, a modernização reflexa e crescimento autônomo, universidade e política, recolonização cultural, modelos clássicos de universidade francesa, inglesa, alemã, norteamericana, soviética, nosso legado, a universidade latinoamericana, valores professados e valores reais, padrões estatísticos, perspectivas de crescimento, características estruturais, mentalidade elitista, constrições funcionais, a nova reforma, tentativas de renovação, dilemas e falácias, desafios cruciais, princípios reitores da nova reforma, a universidade necessária, a universidade da utopia, a estrutura tripatida e integrada, os grandes complexos funcionais, a departamentalização, política universitária, contrapolitização da universidade, o saber acadêmico e a universidade revolucionária.

FONTE:
RIBEIRO, Darcy. Universidade necessária. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.




AOS TRANCOS E BARRANCOS – Na obra Aos trancos e barrancos: como o Brasil deu no que deu, Darcy Ribeiro faz um apanhado histórico do século passado, de 1900 até 1980, denominando cada ano ao devido acontecimento mais representativo. É uma bem humorada abordagem histórica das eras do Brasil no século XX, recheada de fatos, curiosidades, destaques artísticos, ricamente ilustrado.

FONTE:
RIBEIRO, Darcy. Aos trancos e barrancos: como o Brasil deu no que deu. Rio de Janeiro: Guanabara, 1985.

Veja mais Darcy Ribeiro aqui, aqui e aqui.




Veja mais sobre:
Ah esse olhar no Crônica de amor por ela, Marc Augé, Rubem Braga, Wolfgang Amadeus Mozart, Gabriela Mistral, Mitsuko Uchida, Analy Alvarez, David Nutter, Francisco Ribera Gomez, Kate Holmes, Carmen Verônica & Iolita Domingos Barbosa Campos aqui.

E mais:
Tarsila do Amaral, Hannah Arendt, Edward Grieg, Eleanor Gibson, Lígia Moreno & Rubem Braga aqui.
De antemão & Fecamepa aqui.
A mulher celta aqui.
A mulher suméria aqui.
Prelúdio aqui.
Só a poesia torna a vida suportável aqui.
Escapando & vingando sonhos aqui.
Só desamparo no descompromisso social aqui.
Literatura e história do teatro aqui.
Pequena história da formação social brasileira de Manoel Maurício de Albuquerque aqui.
A linguagem na filosofia de Marilena Chauí aqui.
A poesia de Chico Buarque aqui.
Vigiar e punir de Michel Foucault aqui.
A teoria da norma jurídica de Norberto Bobbio aqui.
Como se faz um processo de Francesco Carnelutti aqui.
As misérias do processo penal de Francesco Carnelutti aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.

QUINTANA, BUKOWSKI, ESPINOZA, CARLOS NEJAR, OTTO FRIEDRICH, SUZANNE VALADON, ARTUR GOMES & O FIM DO MUNDO

SE O MUNDO ACABAR, JÁ ACABA TARDE! - Pra todo lado que eu me virasse, a conversa era uma só. Bastou eu botar a cara na rua logo cedo, apar...