sexta-feira, março 08, 2013

AFETIVIDADE, LÍLIA DINIZ, LUCINHA GUERRA, THATHI, EZRA MATTIVI, JULIANA SINIMBU E ANNA RATTO

AFETIVIDADE – Segundo Dalgalarrondo (2008), a vida afetiva é a dimensão psíquica que dá cor, brilho e calor a todas as vivencias humanas. Sem afetividade, a vida mental torna-se vazia e sem sabor. Já segundo Paim (1993) é a capacidade de experimentar sentimentos e emoções. É o estado de animo ou humor como disposição afetiva fundamental, rica em todas as instancias emocionais e vitais, que dá a cada um dos estados de animo uma tonalidade entre dois polos, um patético e outro apático. Distinguem-se cinco tipos básicos de vivências afetivas: humor ou estado de animo, emoções, sentimentos, afetos e paixões. HUMOR OU ESTADO DE ÂNIMO – O humor, para Paim (1993), consiste na soma total dos sentimentos presentes na consciência em dado momento. O estado afetivo fundamentais do individuo (alegria, bem-estar, jubilo, felicidade, inquietação, angustia, tristeza, desespero) depende inteiramente das circunstancias pessoas da vida, dos desejos, inclinações e especialmente do estado de sua saúde física. EMOÇÕES – Para Dalgalarrondo (2008), as emoções podem ser definidas como reações afetivas agudas, momentâneas, desencadeadas por estímulos significativos. Assim, a emoção é um estado afetivo intenso, de curta duração, originado geralmente como a reação do individuo a certas excitações internas ou externas, conscientes ou inconscientes. Assinala Paim (1993) que a emoção é um estado afetivo intenso e complexo, proveniente de uma reação ao mesmo tempo psíquica e orgânica do individuo inteiro contra certas excitações internas ou externas. SENTIMENTOS – Os sentimentos, segundo Dalgalarrondo (2008), estão comumente associados a conteúdos intelectuais, valores, representações e, em geral, não implicam concomitantes somáticos. Constituem fenômeno muito mais mental que somático. Para Paim (1993) o sentimento é um estado afetivo atenuado, estável, duradouro e organizado com maior riqueza e complexidade do que os elementos representativos. Os sentimentos da esfera da tristeza são melancolia, saudade, tristeza, nostalgia, vergonha, impotência, aflição, culpa, remorso, autodepreciação, autopiedade, sentimento de inferioridade, infelicidade, tédio, esperança, entre outros. Os sentimentos da esfera da alegria são euforia, jubilo, contentamento, satisfação, confiança, gratificação, esperança, expectativa, entre outros. Sentimentos da esfera da agressividade são raiva, revolta, rancor, ciúme, ódio, ira, inveja, vingança, repúdio, nojo, desprezo, etc. Os sentimentos relacionados à atração pelo outro são amor, atração, tesão, estima, carinho, entre outros. Os sentimentos associados ao perigo são temor, receio, desamparo, abandono, rejeição, etc. Os sentimentos do tipo narcísico são vaidade, orgulho, arrogância, onipotência, superioridade, empáfia, prepotência, etc. AFETOS – Para Dalgalarrondo (2008), define-se afeto como a qualidade e o tônus emocional que acompanha uma ideia ou representação mental. Os afetos acoplam-se a ideias, anexando a elas um colorido afetivo. Seriam o componente emocional de uma ideia. PAIXÕES – A paixão, segundo Dalgalarrondo (2008), é um estado afetivo extremamente intenso, que domina a atividade psíquica como um todo, captando e dirigindo a atenção e o interesse do individuo em uma só direção. A paixão intensa impede o exercício de uma logica imparcial. ALTERAÇÕES DA AFETIVIDADE – Para Paim (1993) as alterações da afetividade são hipertimia, hipotimia, apatia ou indiferença afetiva, sentimento de falta de sentimento, sentimento de insuficiência, sentimentos sem objeto, sentimentos inadequados, qualidades novas dos sentimentos, pânico, sentimentos de presença, irritabilidade patológica, tenacidade afetiva, instabilidade afetiva, incontinência emocional, sugestibilidade patológica, puerilismo, moria, angustia, ambivalência afetiva e fobias. HIPERTIMIA – Para Paim (1993) a hipertimia ou estado de animo morbidamente elevado, distinguem-se a euforia e a exaltação afetiva patológica. A euforia simples traduz por um estado de completa satisfação e felicidade na qual vefiicam-se elevação do estado de animo, aceleração do curso do pensamento, loquacidade, vivacidade da mímica facial, aumento da gesticulação, riso fácil e logorreia. A euforia simples é observada nos indivíduos predispostos constitucionalmente e, em sua forma pura, na fase maníaca, nos estados hipomaníacos, na embriaguez alcoolica, na demência senil. Na exaltação patologia há não só euforia como também aumento da convicção do próprio valor e das aspirações. Vai acompanhada de aceleração do curso do pensamento que pode chegar à fuga de ideias, desviabilidade da atenção e certa facilidade para passar rapidamente do pensamento à ação. A instabilidade afetiva desses enfermos se traduz pelça extrema facilidade com que eles passam da euforia à tristeza ou à cólera. O estado de animo é o da distimia expansiva. Nos estados de exaltação patologia os enfermos dão a impressão de mais jovens, há aumento do turgor vitalis, manifestação de apetite voraz e de excitação sexual, insônia, grande facilidade dos movimentos expressivos e tendência irresistível à ação. HIPOTIMIA – Na hipotimia ou depressão patológica, segundo Paim (1993), verifica-se o aumento da reatividade para os sentimentos desagradáveis, podendo variar desde o simples mal-estar até o estupor melancólico. Caracteriza-se essencialmente por uma tristeza profunda e imotivada, que se acompanha de lentidão e inibição de todos os processos psíquicos. APATIA OU INDIFERENÇA AFETIVA – Segundo Paim (1993) a afetividade está completamente abolida, não se observando nunca em nenhum transtorno psicótico. Entretanto, a diminuição dos moveis afetivos é um sintoma constante em varias enfermidades mentais. Observações revelaram que nesta enfermidade não existe embotamento afetivo, ao contrario, as alterações são devidas aqui a um transtorno da coordenação entre sentimentos e pensamento. É uma alteração qualitativa dos processos afetivos tornando os sentimentos dos esquizofrênicos inadequados e inteiramente incompreensíveis para as pessoas normais. Indiferença afetiva e uma completa ausência de sensibilidade moral são observadas em certas personalidades anormais, especialmente naqueles indivíduos identificados como insensíveis. SENTIMENTO DE FALTA DE SENTIMENTO – Anota Paim (1993) tratar-se da situação em que os enfermos se queixam de que não experimentam sentimentos de espécie alguma, de que não sentem animo para participar de festas ou de qualquer tipo de distração. SENTIMENTO DE INSUFICIENCIA – Nesses casos, Paim (1993) aborda que os enfermos deprimidos manifestação alterações dos sentimentos no sentido de uma espécie de sentimento de insuficiência, que os incapacita para a pratica de qualquer ação. Trata-se de uma incapacidade real, motivada pelo transtorno primário da afetividade. SENTIMENTOS SEM OBJETO - Paim (1993) afirma que ocasionam profundo sentimentos aos pacientes, notadamente nas depressões endógenas nas quais pode-se verificar uma espécie de angustia indeterminada, que não se encontra ligada a nenhum fator real, denominada de angustia flutuante. SENTIMENTOS INADEQUADOS – são acontecimento que, segundo Paim (1993), normalmente produzem reação intensa em indivíduos sãos, podendo ocasionar uma reação paradoxal. Os fatos podem ser acompanhados da mais completa indiferença ou de fatos banais que provocam intensas reações afetivas. É a inadequação dos sentimentos denominada de dissociação afetiva, admitindo-se se tratar de um sintoma primário da esquizofrenia. QUALIDADES NOVAS DOS SENTIMENTOS – Anota Paim (1993) que o enfermo revela sentimentos e estados de animo qualitativamente novos, na maioria das vezes indefinidos e incompreensíveis. Os pacientes fazem referencias a sentimentos de pavor, de desespero, de solidão, de desprezo social ou sentimentos de beatitude e de iluminação divina. PÂNICO - Dalgalarrondo (2008) define como medo intenso, de pavor relacionada geralmente ao perigo imaginário de morte iminente, descontrole ou desintegração. O pânico se manifesta sempre como crise de pânico. Estas são crises agudas e intensas de ansiedade, acompanhadas por medo intenso de morrer ou de perder o controle e de acentuada descarga autonômica (taquicardia, sudorese, etc.). Segundo Paim (1993) consiste numa vivência de extraordinária repercussão psiquica tão intensa em certos casos que se tem tentado denomina-la de reação neurótica de pânico. SENTIMENTOS DE PRESENÇA – Para Paim (1993) o enfermo tem a certeza imediata de que alguém está ao seu lado, atrás dele, sente a presença de alguém que nunca é visto, porém está certo de que está próximo ou se afasta. IRRITABILIDADE PATOLOGICA – Anota Paim (1993) que é a predisposição especial ao desgosto, à ira e ao furor, nos quais os enfermos manifestam impaciência, irritabilidade, aumento da capacidade de reação para determinados estímulos e intolerância pelos ruídos. Nas personalidades anormais explosivas, o sintoma principal é a irritabilidade patológica. TENACIDADE AFETIVA – Para Paim (1993), consiste na persistência anormal de certos estados afetivos, como ressentimento, o ódio e o rancor. INSTABILIDADE AFETIVA – Entende Paim (1993) que é o estado especial em que se produz a mudança rápida e imotivada do humor, sempre acompanhada de extraordinária intensidade da reação afetiva, que se processa com duração muito limitada. INCONTINÊNCIA EMOCIONAL - Paim (1993) assinala que é uma forma de alteração da afetividade que se manifesta pela facilidade com que se produzem as reações afetivas, acompanhadas de certo grau de incapacidade para inibi-las. SUGESTIBILIDADE PATOLOGICA – Anota Paim (1993) que se trata de uma alteração da ordem tanto afetiva quanto volitiva, sendo uma predisposição psíquica especial que determina uma receptividade e uma submissão muito fáceis às influencias estranhas exercidas sobre o individuo. PUERILISMO - Paim (1993) indica que é o temo empregado para designar as alterações mentais caracterizadas pela regressão da personalidade adulta ao nível de comportamento infantil. Em consequência, o enfermo adota inconscientemente as atitudes, linguagem e o estado de animo de uma criança. MORIA – É o estado que, segundo Paim (1993), é dado com excitação alegre associado a certo puerilismo mental. Nesses casos os enfermos fazem bufonarias, caretas, não permanecem quietos um só instante, o humor é altamente instável, tornam-se cada vez mais exuberantes, loquazes, riem às gargalhadas. ANGÚSTIA – Para Paim (1993) é o sentimento frequente e torturante, sem objeto, quando os processos do conhecimento que a precedem são frequentemente muito mais vagos e indiferenciados, características que correspondem a estratos psiquicos mais primitivos. AMBIVALENCIA AFETIVA – Anota Paim (1993) que é a fala do amor e temor ou ódio que uma pessoa pode ter em relação a outra, dos acontecimentos que se tem e são desejados, como uma operação, a tomada de posse de um cargo. FOBIAS – Para Paim (1993) é um temor insensato, obsessivo e angustiante que certos doentes sentem em determinadas situações e consiste no temor patológico que escapa à razão e resiste a qualquer espécie de objeção. É o temor obsessivo aos espaços abertos (agorafobia), ou fechados (claustrofobia), aos contatos humanos ou com animais (cães, ratos), temor de atravessar ruas, de subir ou descer elevadores, de lugares altos, etc. CATATIMIA – Para Dalgalarrondo (2008) é a importante influencia que a vida afetiva, o estado de humor, as emoções, os sentimentos e as paixões exercem sobre as demais funções psíquicas. Veja mais aqui e aqui.

REFERÊNCIAS
DALGALARRONDO, Paulo. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. Porto Alegre: Artmed, 2008.
PAIM, Isaías. Curso de psicopatologia. São Paulo: EPU, 1993.


LILIA DINIZ & MIOLO DE POTE EM CANTIGAS E VERSOS é um espetáculo Cênico/Poético/Musical construído a partir de poemas que fazem parte do livro Miolo de Pote da Cacimba de Beber da escritora Lília Diniz. Toda ambientação do espetáculo e clima se dá em um terreiro, no qual passeiam os personagens descritos nos versos, uma choupana e elementos como: Pilão, machado, quibanos, casa de palha, cofos, esteiras, lamparinas, dentre outros utensílios e objetos do cotidiano sertanejo maranhense. Esses elementos compõem, por sua vez, o cenário do espetáculo e carregam as seguintes características, em quatro blocos, assim divididos: • Água – O fio condutor deste bloco são poemas e cantigas entoadas em clima de serenidade, aonde o “mumunhar” das águas e das cantigas das lavadeiras conduzem a platéia às ribanceiras dos rios e suas nascentes. • Terra – Elemento que traduz a percepção e a relação da poeta com suas origens agrárias. Os índios, as quebradeiras de coco babaçu, os lavradores e os pássaros incorporam as cantigas e versos na voz e na interpretação teatral em defesa dos que vivem e sobrevivem de sua produção na roça; • Fogo – Aqui as paixões, o amor da cabôca, a força da mulher que ama são os condutores dos sentimentos, expressados em rimas e toadas de boi, baião e versos brejeiros; • Ar – Neste bloco os convidados que são personagens retratados no livro/espetáculo sobem ao palco para aboiar, cantarolar, prosear, violar, assobiar, cirandar e festejar a vida simples da roça e sua gente. O espetáculo transporta a poesia escrita para a interpretação teatral, cheia de toadas e cantigas. Teve sua pré-estréia na cidade de ImperatrizMA, em dezembro de 2006, circulando pelos estados do PI, DF e SP. Trazendo em ritmos alegres histórias versejadas que transporta o público aos interiores do Brasil, ao cenário cotidiano das lavadeiras dos rios, aos baques do machado das quebradeiras de coco babaçu, versões poéticas do sertanejo brasileiro. FICHA TÉCNICA INTERPRETAÇÃO, POEMAS E CANTIGAS: Lília Diniz MÚSICOS: Máximo Mansur, Dadá Nunes e Murilo VOZES: Lúcia Maranhão e Thábata Lorena DIREÇÃO MUSICAL: Máximo Mansur FIGURINOS: Vanusa Babaçu e Roupa de Ensaio LUZ: Miltinho Alves CENOTÉCNICA: Roupa de Ensaio DURAÇÃO: 90’ CONTRATE ou INDIQUE Arte, poesias, cantigas e encantamento para seu evento lamparinaproducoes@gmail.com 61-8162-5458 - 3357-2445 -- 99-8116-9197 Acompanhe as poesias de Lília Diniz em: www.liliadiniz.zip.net/ , outroladodamargem.zip.net/ & www.sertanejares.blogspot.com Veja mais de Lília Diniz no Crônica de amor por ela e no Varejo Sortido

LUCINHA GUERRA – A cantora, atriz, diretora musical e produtora cultural pernambucana, Lucinha Guerra, é uma das vozes mais expressivas da nova música brasileira. Ela começou sua formação musical estudando canto no curso de extensão da UFPE. Durante este período participou como solista do Coral “Madrigal Reflexus”. Toca diversos instrumentos como: sanfona, violão, pandeiro, entre outros. Participou da criação da Trupe Romançal de Teatro, do idealizador Ariano Suassuna, com Direção de Romero de A. Lima, realizando vários espetáculos como "A Pedra do Reino" e "A História do Amor de Romeu e Julieta". No cinema, participou como cantora lírica e atriz no longa metragem “Retratos falados de Castro Alves”, de Sílvio Tendler com Bruno Garcia, Dira Paes, Teresa Freire, entre outros. Participou como atriz e cantora do musical "Mangaba com Catuaba", com Walmir Chagas e Aramis Trindade e Direção de Romero Andrade, em 1997, dedicando-se a partir do ano de 1999, exclusivamente a carreira de cantora. Desde 2000, tem uma ativa participação no cenário musical do Estado de Pernambuco, fazendo shows nas principais produções culturais. Lançou seu 1° CD solo, “Sinhá Pureza e a Moreninha que o Irerê cantou” em 2002, e o 2º, “O Samba de Mariazinha” em 2007. O "Samba de Mariazinha", traz composições inéditas do pernambucano Romero Andrade, algumas em parceria com Lucinha Guerra, como a faixa "Ô Maricota", um maxixe. Lucinha Guerra tem fortes influências de mestres como Jackson do Pandeiro, tendo inclusive realizado em 2008 o show "O Rei do Rítmo", uma viagem pela vasta obra desse grande artista da música Brasileira. Realizou o projeto "Coreto em Samba e Choro", idealizado e produzido por ela, com o apoio da prefeitura da Cidade de Olinda. O projeto trouxe a boa música de volta aos coretos da cidade e teve sua estréia, no coreto da Praça da Preguiça/Olinda, onde Lucinha cantou e recebeu convidados ilustres. O evento piloto aconteceu em setembro de 2008 e contou com a participação de Geraldo Maia, Rui Ribeiro, Selma do Samba e Naara. O "Coreto em Samba e Choro”, teve sua 2º Edição em dezembro de 2008, com as convidadas de Lucinha Guerra: Dalva Torres, Kelly Rosa, Karynna Spinelli e Cláudia Beija. O projeto aconteceu dentro do "Arte em Toda Parte", com a praça lotada de pessoas de todas as idades e classes sociais. Agora ela está com uma apresentação neste sábado, 18/09, na Casa de Seu Jorge., acompanhada de Alex Sobreira no violão de sete cordas e Nido do Acordeom. No repertório, sambas, valsas, tangos, foxtrot, canções francesas. O show conta ainda com um choro e um baião de Alex Sobreira. Informações e reservas: 81 3034 1066 Releases, vídeos e fotos de Lucinha Guerra no site: www.myspace.com/lucinhaguerra


EZRA MATTIVI –a cantora, compositora e educadora musical gaucha de Novo Hamburgo, radicada em Maceió desde 2000, Ezra Mattivi, é formada em Música pela UFAL, atuando como educadora musical no SESC AL e na Escola Espaço Educar. Começou a tocar violão aos 12 anos de idade e na época integrou grupos de canto coral. Participou do FEMUSESC de 2003, integrando o cd do festival. Integrou o grupo Vestindo a Carapuça, participando do cd da banda Todas as carapuças. Em 2005 realizou o show Tudo, em parceria com Naldinho no Projeto Palco Aberto, participando do cd do projeto, como também participou do cd do projeto em 2006. Já no ano seguinte, participou do Quartas Musicais do SESC-AL Em 2008 realizou o show Sotaques, em parceria com Romulo Melo e Jan Silva. Em 2009 realizou o show Todos os Sons e participou do projeto editorial Letras & Sons, um produto do Selo Passarada,lançado na IV Bienal Internacional do Livro de Alagoas, sendo pela produção de letras e arranjos para o cd da Coleção Letras & Sons. Ministrou o curso livre em 3 módulos de violão popular e eruditono Sesc Centro, destinados a adolescentes alagoanos.Detentora de uma bela voz, suas composições trazem poesia nas letras, suavidade nas melodias e harmonias que fazem referência à vida, ao amor e à natureza. Baladas, sambas, bossas, baiões, milongas, funks, estão presentes no seu trabalho.



THATHI – A cantora, compositora, guitarrista e multi-instrumentista baiana, Thathi, já dividiu palco com gente de peso como Djavan, Geraldo Azevedo, Guilherme Arantes, Flávio Venturini, Luiz Melodia, Zeca Baleiro, Danni Carlos, Frejat e Luiza Possi, Moska e muitos outros. Lançou o seu primeiro cd Por Cima com uma diversidade musical e já trabalhando o seu segundo álbum com produção de Robertinho de Recife. Contato: Fernanda Alves. 71 91366631 / 81116917. producao@thati.com.br Veja mais dessa promissora artista no site Thathi e no MySpace.


ANNA RATTO – Antes ela se assinava Anna Luisa, agora esta excelente cantora carioca mudou de nome: Anna Ratto. Confira seu talento acessando o seu novo site: www.annaratto.com.br. Tambem confira a sua página no MySpace www.myspace.com/annaratto, o seu blog www.annaratto.blogspot.com e o twitter dela: www.twitter.com/annaratto. Agenda de shows: 11/dez - Teatro Brasília (DF) - 21hs (R$ 40 l R$ 20) informações: www.teatrobrasilia.com.br 12/dez - FEIRA MÚSICA BRASIL no Marco Zero (Recife-PE) - 22hs informações: http://feiramusicabrasil.com.br 20/dez - Arcos da Lapa (Rio)(maiores informações - breve) e assista o videoclipe 'TONTA' (part. especial: Flavio Bauraqui e Cecilia Vidal): http://www.youtube.com/watch?v=N3WvThCh_s4


JULIANA SINIMBU – A cantora paraense Juliana Sinimbú  25 anos, teve seus contatos iniciais com a música através das marchas de carnaval que sua avó cantava e os discos de samba e bossa nova que seus pais ouviam sempre. Desde a primeira apresentação profissional em maio de 2006, Juliana tem cantado com freqüência nos principais teatros, bares e casas noturnas de Belém, sendo hoje um dos principais nomes da nova geração paraense. Entre os momentos marcantes dessa trajetória, destacam-se seus shows solo Daqui pra Frente (2007), Maysa, Quando Fala o Coração (2009) e Tem Mais Samba (2010). O show Intimidade, no qual dividia o palco com Aíla, foi escolhido pra abrir a programação do Fórum Social Mundial 2009. Em 2008, representou o Pará numa turnê pela França, ao lado dos grupos La Pupuña e Trio Manari. Informações para a imprensa: Contatos para entrevistas: Juliana Sinimbú julianasinimbu@gmail.com Assessoria de Imprensa Som do Norte Fabio Gomes musicadonorte@gmail.com 91-8279-7680




Veja mais sobre:
Poemas & canções da Crônica de amor por ela aqui.

E mais:
Sulina, a opulência da beldade, Graciliano Ramos, A cultura midiática de Douglas Kellner, Horácio, a pintura de André Derain, a música de Ronaldo Bastos, A poesia de Wanda Cristina da Cunha, A promiscuidade de Pedro Vicente & Lavinia Pannunzio, Gattaca de Andrew Niccol & Uma Thurman, Cindy Sherman & Thaís Motta aqui.
Iangaí, ó linda, Olinda, Fecamepa & os primórdios da corrupção no Brasil, Ari Barroso & Plácido Domingo, G. Graça Campos & a Esteatopigia aqui.
Francis Bacon, Antonio Gramsci, August Strindberg, a pintura de Lidia Wylangowska, a música de Luciana Mello, Marília Pêra & o grafite Vagner Santana aqui.
Um troço bulindo no quengo com a poesia de Abel Fraga & Fernando Fiorese & o desenho de Fabiano Peixoto aqui.
A Gestalt-terapia de Fritz Perls aqui.
Educação Ambiental aqui.
Probidade administrativa aqui.
Big Shit Bôbras: a chegada e os participantes aqui.
A trupe do Fecamepa aqui.
Doutor Zé Gulu: de heróis, mitos & o escambau aqui.
Doutor Zé Gulu: sujeito, indivíduo, quem aqui.
Poetas do Brasil: Afonso Paulo Lins, Carmen Silvia Presotto, Adriano Nunes, Eliane Auer & Natanael Lima Júnior aqui.
A arte do guerreiro no planejamento e atendimento, Pedagogia do Sucesso, A educação e a crise do capitalismo, Formação do pesquisador em educação, Educação a Distância, Cultura & Sociedade aqui.
Norbert Elias & Princípios fundamentais de filosofia aqui.
Pierre Bourdieu, Psicologia Escolar, Direito & Internet aqui.
Poetas do Brasil aqui, aqui e aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.