sexta-feira, janeiro 08, 2016

PAGU – PATRÍCIA GALVÃO & TODO DIA É DIA DA MULHER

PAGU - A escritora, diretora de teatro, desenhista, jornalista, militante comunista e musa do Modernismo brasileiro, Patrícia Galvão, ou simplesmente Pagu (1910-1962), foi a primeira mulher presa por motivações políticas no Brasil. Filha do advogado e jornalista Thiers Galvão de França e de Adélia Rehder Galvão, era ela a Zazá, a terceira de quatro irmãos de uma família conservadora e tradicional, extravagante e avançada para os padrões do seu tempo, fumando, usando blusas transparentes, cabelos curtos e falando palavrões. Em 1925, passou-se a assinar como Patsy, colaborando no Brás Jornal, passando a integrar o movimento antropofágico de Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral. Passando a se chamar Pagu, depois de um poema que lhe foi dedicado pelo poeta Raul Bopp, ela tornou-se o pivô de um escândalo que casou a separação de Tarsila e Oswald, quando este casa-se com ela e entram para a militância do Partido Comunista Brasileiro. Foi presa em 1931 ao participar da organização de uma greve de estivadores em Santos, sendo esta a primeira das vinte e três prisões a que fora submetida durante toda a sua vida. Abandonando tudo, resolve ela fazer uma viagem pelo mundo em 1933, quando publica o romance Parque Industrial, sob o pseudônimo de Mara Lobo. Em 1935 foi presa em Paris como comunista estrangeira, com identidade falsa e repatriada para o Brasil. Ao se separar do marido, retoma as atividades de jornalista, quando foi presa e torturada por cinco anos pelas forças da ditadura de Getúlio Vargas. Em 1940, sai da prisão e rompe com o Partido Comunista, defendendo o socialismo trotskista e integrando A Vanguarda Socialista. Casa-se novamente e lança o seu romance A Famosa Revista, escrito em parceria com o marido Geraldo Ferraz. Em 1952, depois de freqüentar a Escola de Arte Dramática de São Paulo, apresentou seus espetáculos de teatro de vanguarda, traduzindo A Cantora Careca, de Ionesco, Fando e Liz, de Fernando Arrabal, e poemas de Guilhaume Apollinaire, incentivando a carreira do jovem ator e dramaturgo à época, Plinio Marcos e do compositor Gilberto Mendes. Acometida com um câncer, tentou suicídio depois de uma cirurgia malograda em Paris. Durante sua trajetória artística adotou o pseudônimo de King Shelter para seus contos policiais, traduzindo obras de James Joyce e Octávio Paz. Ela foi tema de um filme de Carla Camuratti e dois documentários, além de ser homenageada em uma canção de Rita Lee e Zélia Duncan. Veja mais aqui e aqui.


Veja mais sobre:
Desejo na Crônica de amor por ela, Friedrich Nietzsche, Rubén Darío, Pietro Aretino, Ludovico Ariosto, Jean-Pierre Jeunet, Maria Luisa Persson, Piero Della Francesca, Ibys Maceioh, Audrey Tautou & Kiki Sudário aqui.

E mais:
Clara Schumann & Todo dia é dia da mulher aqui.
Abelardo da Hora, Umberto Eco, Friedrich Dürrenmatt, Luís Gonzaga & Humberto Teixeira, Eliane Ferraz, Denise Dummont & Lírio Ferreira aqui.
A prisão & o Sistema Penal, Fecamepa & Natanael Lima aqui.
O flagelo: Na volta do disse-me-disse, cada um que proteja seus guardados aqui.
Violência Escolar, Psicologia da Saúde, União Estável & Família Homoafetiva, Humor nas tresloucadas acontecências aqui.
Ginofagia: três poemas indecentes de amor pra ela aqui.
A carta do barbeiro & o mundo não acabou aqui.
O mito do Fausto, Cassiano Ricardo, Frederico Spencer, Fecamepa & Palmares City aqui.
Ginofagia: Três poemetos luxuriosos de amor pra ela aqui.
Psicologia Ambiental, Aprendizagem & Direito dos Idosos aqui.
A Gestalt-Terapia de Fritz Perls aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.



TODO DIA É DIA DA MULHER – Dando continuidade na campanha Todo dia é dia da mulher, trazemos hoje as homenageadas do mês de abril 2015.

DORA 
                                               KAREN HORNEY
NANA 

Veja mais aqui.


PRIMO LEVI, ALTHUSER, OSCAR WILDE, FERNANDA MONTENGRO, SÉRGIO AUGUSTO DE ANDRADE, NEUZA PARANHOS, APOLLONIA SAINTCLAIR & PADRE BIDÃO

OS MILAGRES DO PADRE BIDIÃO - Muito se tem falado a respeito dos milagres praticados pelo Padre Bidião. Eu mesmo nunca vi um sequer, mas...