terça-feira, fevereiro 16, 2016

MARLENE DIETRICH & HANNAH ARENDT



MARLENE DIETRICH: AS PERNAS MAIS BELAS DO CINEMA – A atriz e cantora alemã naturalizada estadunidense Marilene Dietrich (1901-1992), alcançou o hiperestrelato com a sua longa carreira, reinventando a si mesma de forma profissional. Ela começou atuando em filmes mudos e obteve sucesso com o papel de Lola-la no filme The blue angel (1930), de Josef von Sternberg. Sua fama internacional levou-a para Hollywood, onde estrelou em diversos filmes, tornando-se uma das atrizes mais bem pagas da época. Ela tornou-se cidadã americana em 1939, realizando uma grande turnê pelo mundo entre os anos 1950-1970. Os seus esforços humanitários durante a II Guerra Mundial, abrigando alemães e franceses exilados com apoio financeiro, bem como atuou levando o moral nas linhas de frente durante a guerra, recebendo honras dos EUA, França, Bélgica e Israel. Sua carreira foi encerrada em 1975, após uma queda no palco, fraturando a coxa durante uma performance em Sydney, na Austrália. Findou seus dias de dependente químico, acamada, dedicando-se a escrever sua autobiografia Nehmt nur mein Leben (Take Just My Life), publicada em 1979. Veja mais aqui.


A CONDIÇÃO HUMANA – O livro A condição humana, da filósofa política alemã de origem judaica Hannah Arendt (1906-1975), trata da condição humana desde a Grécia Antiga até a modernidade europeia, por meio de um relato minucioso acerca da evolução e desenvolvimento histórico dos contextos da essência humana,  a partir de uma análise acerca da Vita Activa e a condição humana, a distinção entre o labor e o trabalho e ação, o político, o público, o privado, o social, a questão proletária, a degradação e a banalização de conceitos, o homem moderno, cada vez mais alienado e apolítico, a crescente apolitização do homem, a condição humana diz respeito às formas de vida que o homem impõe a si mesmo para sobreviver, como condições que tendem a suprir a existência do homem e que variam de acordo com o lugar e o momento histórico do qual o homem faz parte, o condicionamento pelos atos e pelo que se pensa e sente, condicionamento pelo contexto histórico delineado pela cultura, amizades e família, o labor como processo biológico necessário para a sobrevivência do indivíduo e da espécie humana, o trabalho como atividade de transformar coisas naturais em coisas artificiais, a ação como necessidade do homem em viver entre seus semelhantes numa natureza eminentemente social, a “Vita Activa” como ocupação, inquietude e desassossego, a religião cristã e as concepções gregas na vulgarização da dignidade humana, as dicotomias de trabalho entre improdutivo e produtivo, qualificação e não qualificação, intelectual e manual, a visão marxista do trabalho produtivo, o processo de industrialização, o trabalho intelectual em contraposição ao trabalho manual, a ideologia do qualquer coisa que se faça tem que ser necessariamente produtivo, tudo deve ser transformado em mercadoria, o valor de troca, a força de trabalho como aquilo que o homem possui por natureza e que só cessa com a morte, entre outros assuntos. Veja mais aqui e aqui.

REFERÊNCIA
ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.


Veja mais sobre:
Folia Caeté na Folia Tataritaritatá, Ascenso Ferreira, Chiquinha Gonzaga, Nelson Ferreira, Adolphe William Bouguereau, José Ramos Tinhorão, Agostino Carracci, Frevo, Maracatu, Teatro & Carnaval, Dias de Momo As Puaras, Peró Batista Andrade, Baco & Ariadne aqui.

E mais:
Fevereiro, carnaval & frevo, Galo da Madrugada, Roberto DaMatta, Mauro Mota, Capiba, Orquestra Contemporânea de Olinda, Mário Souto Maior, Valdemar de Oliveira, Zsa Zsa Gabor, Helena Isabel Correia Ribeiro, Rollandry Silvério & Márcio Melo aqui.
A troça do Fabo aqui.
William Burroughs, Henfil, Ernest Chausson, Liliana Cavani, Hans Rudolf Giger, Charlotte Rampling, Religi]ão & Saúde Mental, A multa do fim do mundo & Auber Fioravante Junior aqui.
Quanto te vi, Christopher Marlowe, Duofel, Haim G. Ginott, Mary Leakey, François Truffaut, Dona Zica, Natalie Portman, Ewa Kienko Gawlik, Pais & filhos aqui.
A magia do ritual do amor aqui.
A psicologia de Alfred Adler & Abaixo a injustiça aqui.
Origem das espécies de Darwim & Chega de injustiça aqui.
Três poemetos de amor pra ela aqui.
Slavoj Žižek & Direito do Consumidor aqui.
E a dança revelou o amor aqui.
Pas de deux: todo dia é dia de dançar o amor aqui.
Três poemas & a dança revelou o amor... aqui.
Quando ela dança tangará no céu azul do amor aqui.
A dançarina aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA;
Veja Fanpage aqui e mais aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra:
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja os vídeos aqui& maisaqui e aqui.





ESPINOZA, AHMADOU KOUROUMA, TOULOUSE-LAUTREC, PSICANÁLISE & DIREITO, GERUSA LEAL, CLARA REDIG, OVÍDIO POLI JÚNIOR & LAJEDO

COMO QUEM ESPERA E JÁ FOI – Imagem: The Hangover , do pintor francês Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901). - Como quem espera tal pedra...