quinta-feira, março 07, 2013

A POESIA DE CHICO BUARQUE



A POESIA DE CHICO BUARQUE – Para tratar acerca dessa temática num trabalho acadêmico convem situar a poesia dos anos 60/70 no Brasil, a vanguarda e a repressão política, a temática poética, os olhares e as vozes de Chico Buarque, a vanguarda e o engajamento, o olhar do autor na perspectiva social. Veja detalhes aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
ARISTÓTELES. Poética. São Paulo: Abril Cultural, 1981.
CHEDIAK, A. Chico Buarque. Songbook, São Paulo: Lumiar, 1999.
COHEN, J. Estrutura da linguagem poética. São Paulo: Cultrix, 1966
ECO, U. Apocalípticos e Integrados. São Paulo: Perspectiva, 1993.
FOLHA DE SÃO PAULO. Movimento concretista dividiu a intelectualidade brasileira. Disponível no site Jornal de Poesia, capitado em 24 de setembro de 2005.
FORTUNA, F. O que ficou da poesia marginal. UFRJ,  setembro de 2005.
HEGEL. “Caráter geral da poesia lírica”. In: Estética: Poesia. Vol. VII. Lisboa: Guimarães Editores, 1980, p. 221-223 (fragmentos).
HOLANDA, S. B. O historiador escreve sobre seu filho Chico Buarque. Jornal Folha de São, sábado, 19 de outubro de 1991.
JOBIM, T. Carta ao Chico. In: Buarque, Chico. Chico Buarque, letra e música: incluindo Carta ao Chico de Tom Jobim e Gol de Letras de Humberto Werneck.  Rio de Janeiro: Ateliê, 1988.
MARQUES, F. As ilusões perdidas. Dossiê Cult. Revista Cult, Ano II, 69 (60-63), 2003.
MARTINS, L. B. Chico Buarque 60. Jornal do Brasil, Caderno B,  28.12.2005.
MELLO, H. F. Alegorias do vazio. Revista Cult, Ano II, 69 (48-53), 2003.
MELLO, M. V. de. Desenvolvimento e cultura. O problema do estetismo no Brasil. São Paulo, Nacional,1963.
NASSIF, L. Chico Buarque: a honestidade e o caráter na música brasileira. Samba Choro, 2005.
ORTIZ, R. A moderna tradição brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1994.
PAZ, O. O arco e a lira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.
POUND, E. A arte da poesia. São Paulo: Cultrix, 1976.
SOARES, A. Gêneros Literários. São Paulo: Ática, 2001.
TINHORÃO, J. R. Chico Buarque. Jornal do Brasil, Caderno B, página 5, edição de 12 de novembro de 1977.
VENTURA, Z. 1968: o ano que não terminou. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988.
ZAPPA, R. Chico Buarque: para todos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.




Veja mais sobre:
Ardência na Crônica de amor por ela, Pitágoras, Jacques Lacan, Max Bruch, Mariano Latorre, Jules Laforgue, Philip Kaufman, Chloe Hanslip, Ashley Judd, Nina Kozoriz, Gustave Doré, Teatro Elisabetano & Rachel Levkovits aqui.

E mais:
Nise da Silveira & Todo dia é dia da mulher aqui.
Alexander Scriabin, Cássia Kiss, Gustave Doré, Denise Georg, Mr. Bean, Márcia Poesia de Sá, Gabi Alves & Zé Edu Camargo aqui.
Primeiro encontro: o voo da língua no universo do gozo aqui.
A poesia de Bráulio Tavares aqui.
Jung & a alma, Educação, Psicologia & Sociologia, Crimes Ambientais, Oração do Justo Juiz, Serpente de Asas & Literatura Pernambucana aqui.
O pensamento de Antonio Gramsci aqui.
Fecamepa, Psicologia Escolar, Sonhoterapia, Direito & Família Mutante aqui.
O monge e o executivo de James C. Hunter, Neuropsicologia, Ressocialização Penal & Educação aqui.
Sexualidade na terceira idade aqui.
Homossexualidade & Educação Sexual aqui.
O beijo que se faz poema aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.


GALEANO, BOLDRIN, FLORA PURIM, CAMPBELL, JACI BEZERRA, BRAGINSKY, ADONIRAN, INGRID PITT, RESILIÊNCIA & QUIPAPÁ

A ESCRITURA DO VISINVISÍVEL – A arte do pintor ucraniano Arthur Braginsky . – O que vejo a lágrima embaça porque tudo é muito adverso e av...