quinta-feira, março 07, 2013

GEORG LUKÁCS, PSICOLOGIA SOCIAL & FILOSOFIA DO DIREITO



GEORG LUKÁCS -O filósofo, crítico literário e pensador marxista húngaro Georg Lukács (1885-1971) foi uma das importantes personalidades no cenário intelectual do século XX. Sua obra crítica tem início com sua obra seminal “A teoria do romance”, uma história do romance enquanto forma literária, e uma investigação de suas distintas características demonstrando forte inspiração hegeliana. O trabalho de crítica literária de Lukács inclui o bem conhecido ensaio "Kafka ou Thomas Mann?", no qual Lukács argumenta em favor da obra de Thomas Mann como uma superior adequação às condições da modernidade, enquanto critica o modo de inserção de Franz Kafka no modernismo, defendendo o caráter revolucionário dos romances de Sir Walter Scott e Honoré de Balzac. Este ponto de vista foi expresso no seu último livro O Romance Histórico. Também são notáveis os textos "Notas sobre o romance" e "Narrar ou descrever?", em que o autor se debruça mais meticulosamente sobre a concepção marxista da literatura. Além desses ensaios, Lukács escreveu longos volumes sobre Estética. E dentre suas importantes obras está “Existencialismo ou marxismo?”, obra esta que é divida em 4 capítulos. O primeiro, “A crise da filosofia burguesa”, trata a respeito do pensamento fetichizado e a realidade, a evolução do pensamento burgues, a filosofia do imperialismo, a pseudo-objetividade, o terceiro caminho e o mito, intuição e irracionalismo e os sintomas da crise. No segundo capítulo ele aborda acerca “Da fenomenologia ao existencialismo!, considerando o método enquanto comportamnto, o mito do nda e o mundo fetichizado e o fetiche da liberdade. Já no capítulo terceiro é abordado o tema “O impasse da moral existencialista” tratando acerca da situação histórica do existencialismo, moral da intenção e moral do resultado, Sartre contra Marx, a moral da ambiguidade e a ambiguidade da moral existencialista, a ética existencialista e a responsabilidade histórica. No quarto e último capítulo ele trata acerca da “A teoria leninista do conhecimento e os problemas da filosogia moderna”, abordando a atualidade ideológica do materialismo filosofico, materialismo e dialética, significação dialética da aproximação na teoria do conhecimento, totalidade e causalidade e o sujeito do conhecimento e ação prática.

LUKÁCS, Georg. Existencialismo ou marxismo. São Paulo: Ciências Humanas, 1979.   Confira mais aqui e aqui.



GÊNERO E PESQUISA EM PSICOLOGIA SOCIAL – O livro Gênero e pesquisa em psicologia social (Casa do Psicólogo, 2008), organizado por Mara Coelho de Douza Lago, Maria Juraci Filgueiras Toneli, Adriano Beiras, Mariana Barreto Vavassori e Rita de Cassia Flores Müller, trata de temas como psicologia e estudos de gêneros, reflexos sobre gêneros e psicologia no Brasil, o gênero de gente que não quer mais viver, a psicalise e reflexões sobre a diferenciação sexual, os sentidos do homoerotismo feminino sob a ótica do território, modos de vida de mulheres lésbicas, movimentações politicas e discursivas em torno da sugmentação do mercado de consumo GLS, trajetórias homossexuais, temporalidades e espaços, analise dos discurso sobre corpo e gênero contidos nas enciclopédias sexuais publicadas no Brasil nas décadas de 1980 a 1990, adolescência e sexualidade nas páginas das revistas, sexualidade como tema transcersal nas escolas, da teoria à prática, jovens estudantes falam de adolescência, gênero e aids, adolescentes pais e seus pais, o velho atualizado e o novo reinventado, masculinidade tradicional hegemônica e relações amorosas, o caminho da judicialização e a produção de subjetividade da criança vitima de incesto, considerações sobre falas e trajetóricas de adolescentes em situação de exploração sexual, a relação entre pesquisadores, sujeitos e comunidades: encontros ao som de antrhropological blues, gênero e trabalho, considerações sobre a organização/divisão sexual do trabalho em um assentamento coletivo do MST, agricultores e agricultoras familiares vivenciando mudanças e permanências na conversão para agricultura orgânica, mulheres em ocupações tradicionalmente masculinas e sentidos do trabalho, entre outros assuntos. Veja mais aqui e aqui.

FILOSOFIA DO DIREITO – Importante obra para estudantes e militantes da área jurídica, o livro Filosofia do Direito (Saraiva, 1999), do filósofo, jurista, educador e poeta Miguel Reale (1910-2006), traz desde a finalidade e noção preliminar de filosofia, o amor do saber e exigência de universalidade, o problema dos pressupostos, o Positivismo e a Redução da Filosofia a uma Enciclopédia das Ciências, o Neopositivismo, "Philosophia, ancilla scientiarum", os neopositivistas, autonomia da Filosofia: seus máximos problemas, Teoria do Conhecimento; Lógica e Ontognoseologia, Ética, Axiologia, Metafísica e concepção do mundo, Gnoseologia, Ontologia e Ontognoseologia, predomínio do problema do ser até o Renascimento, a Filosofia moderna e o problema do conhecer, a correlação sujeito-objeto e o problema do ser, graduação do Conhecimento — O Conhecimento Vulgar e o Científico, o particular e o genérico, estrutura do conhecimento: tipos, leis e princípios, o Direito como Ciência, Natureza Crítico-Axiológica do Conhecimento Filosófico, sentido geral do Criticismo, condicionamento do saber filosófico, relações entre Filosofia e Ciência Positiva, metodologia da Filosofia e das Ciências, o empirismo ou empiricismo, Empirismo e Direito, Racionalismo, Criticismo, juízos analíticos e sintéticos, criticismo ontognoseológico, o Realismo, o Idealismo, Kant e Augusto Comte, posição ontognoseológica, correlação com a problemática jurídica, das Formas do Conhecimento, dos processos intuitivos em geral, dos métodos de cognição mediata, doutrinas dogmáticas, doutrinas céticas, o relativismo, os valores e o Direito, teoria histórico-cultural dos valores, a Cultura e o Valor da Pessoa Humana, Teoria da Cultura, criação e tutela de bens, estrutura dos bens culturais, cultura e civilizações, as leis do mundo cultural, o problema da sanção, ciências especulativas e normativas, Ciência e Técnica, justiça e bem comum, individualismo, personalismo e transpersonalismo, os Temas da Filosofia Jurídica, a divisão tripartida, divisão de Stammler, epistemologia jurídica, direito e intersubjetividade, justiça e alteridade, análise fenomenológica da realidade jurídica, tridimensionalidade da Conduta Ética, o Direito como fato histórico ou relação social, regras do Direito e normas técnicas, o Normativlsmo Lógico de Hans Kelsen e a Eficácia do Direito, uma tricotomia implícita, Teoria Tridimensional do Direito, nomogênese jurídica, processo normativo e poder, as ciências da realidade jurídica, direito e moral, Coercitividade e Coercibilidade, coação social, coação psicológica e coação jurídica, direito e valores de convivência, os corolários da atributividade, distinção entre Direito e Moral, entre outros assuntos. Veja mais aqui, aqui e aqui.


Veja mais sobre:
A mulher na Roma antiga, William Faulkner, Victor Hugo, Jacqueline Du Pre, Helena Saffioti, Brian De Palma, Jean-Baptiste Pigalle, Carmen Tyrrel, Elizabeth Short, Mia Kirshner, Lenita Estrela de Sá & Lia Helena Giannechini aqui.

E mais:
Antonio Callado, Angela Yvonne Davis, Giovanni Lanfranco, Tavito Carvalho & Jane Fonda aqui.
A violência aqui.
O pensamento de Demócrito aqui.
O pensamento de Anaxágoras aqui.
O pensamento de Empédocles aqui.
O pensamento de Zenão de Eleia aqui.
O pensamento de Parmênides aqui.
O pensamento de Xenófanes aqui.
O pensamento de Heráclito aqui.
A fenomenologia de Husserl aqui.
O pensamento de Pitágoras aqui.
O pensamento de Anaxímenes aqui.
O pensamento de Anaximandro aqui.
Autoestima aqui.
A croniqueta de antemão aqui.
Todo dia é dia da mulher aqui.
Fecamepa aqui e aqui.
Palestras: Psicologia, Direito & Educação aqui.
Livros Infantis do Nitolino aqui.
&
Agenda de Eventos aqui.

CRÔNICA DE AMOR POR ELA
Veja aqui e aqui.

CANTARAU: VAMOS APRUMAR A CONVERSA
Paz na Terra: 
Recital Musical Tataritaritatá - Fanpage.
Veja  aqui e aqui.